sexta-feira, 12 de junho de 2009

Líder indígena brasileiro ganha prêmio internacional de direitos humanos

Notícias

Sociedade Internacional de Direitos Humanos premia o líder Almir Suruí.
Ele denunciou a exploração de madeira na terra de seu povo.

O líder indígena brasileiro Almir Suruí recebeu em Genebra, na Suíça, um prêmio da Sociedade Internacional de Direitos Humanos, organização que atua em 26 países. A entrega aconteceu neste sábado (25) na sala de concertos Victoria Hall, em Genebra, onde foi executada também uma obra de Heitor Villa- Lobos.

“Sempre digo que direitos humanos não existem sem floresta, pois ela tem papel importante na qualidade de vida. Assim como, quando se fala de floresta, não se pode deixar de falar de direitos humanos”, comentou o líder, que se disse satisfeito por uma entidade internacional ter reconhecido seu trabalho. “Achei [o prêmio] importante, pois pode se tornar uma ferramenta para a gente continuar a lutar”, acrescentou, em entrevista ao Globo Amazônia, da Suíça.

Almir é líder dos índios suruí e vive na Terra Indígena Sete de Setembro em Cacoal, Rondônia. Ele é coordenador Etno-Ambiental da Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (Coiab), e denunciou à Organização dos Estados Americanos a exploração ilegal de madeira nas terras indígenas de Rondônia. Passou a receber ameaças de morte depois disso.
Depois Almir conseguiu algumas parcerias inéditas, uma delas com a empresa americana Google, para que esta mapeasse a terra de seu povo, protegendo-a do desmatamento, e outra com a Forest Trends, organização não-governamental também dos EUA, para recuperar áreas degradadas de floresta e entrar no mercado de carbono.

A Sociedade Internacional de Direitos Humanos é uma organização com cerca de 30 mil membros em 26 países. Surgiu nos anos 70, na Alemanha Ocidental, chamando atenção para o desrespeito aos direitos humanos em países do bloco comunista. O prêmio recebido por Suruí é concedido anualmente a figuras de destaque na luta pelos direitos humanos. Em 2000, por exemplo, ele foi concedido ao Dalai Lama.

Nenhum comentário: